emmy2014

Eu juro que ainda vou escrever sobre outra coisa que não sejam séries aqui no Espaço do Renato. Contudo, porém, entretanto, todavia, por enquanto vamos de séries mesmo. Nesse domingo, rolou a premiação do Emmy, o Oscar da televisão americana (existe uma versão internacional, onde a gente manda muito bem por lá, espero ver Narcos e Wagner Moura e José Padilha ano que vem na concorrência bruta) e já sabemos quem são os ganhadores, por isso, vamos conversar sobre isso.

Eu mesmo não vi a premiação porque deu azar de cair justamente no dia dos shows do Elton John e do Rod Stewart no Rock in Rio (e caramba, que show foi esse do Rod Stewart, melhor que eu vi do primeiro fim de semana dessa edição, ainda que daqui do meu humilde sofá), mas aposto que foi boa (vamos catar no Youtube qualquer hora), ainda mais por ter Andy Samberg como apresentador. Enfim, de qualquer forma, vamos aos ganhadores!

Na categoria de minissérie ou série limitada, não teve para ninguém: a grande ganhadora foi a minissérie Olive Kitteridge, que recebeu o Emmy de Melhor Série Limitada ou Minissérie, Melhor Ator Principal, Melhor Atriz Principal e Melhor Ator Coadjuvante em Minisséries para os incríveis Richard Jenkins, Frances McDormand e Bill Murray, respectivamente, Emmy de Melhor Direção para Lisa Cholodenko e Emmy de Melhor Roteiro para Minissérie (a única derrota de Olive Kitteridge em suas oito indicações foi na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, onde a igualmente talentosa Zoe Kazan perdeu para Regina King, de American Crime).

Na categoria Série de Comédia (onde concorrem séries com trinta minutos de duração ou menos), testemunhamos, enfim, o fim do reinado (nem sempre justificado) de Modern Family. Veep é a nova série campeã e a temporada premiada esse ano ainda rendeu o Emmy de Melhor Atriz Principal e de Melhor Ator Coadjuvante para os geniais Julia Louis-Dreyfus (Seinfeld) e Tony Hale (Arrested Development), Melhor Roteiro para Armando Ianucci (que perdeu a categoria de Direção para Jill Solloway, diretora de Transparent). A série perdeu também a categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, que foi para Allison Janey por seu papel em Mom. Completando a categoria Comédia temos as vitórias de Jeffrey Tambor (franco favorito após sua vitória no Globo de Ouro e que, finalmente, desbancou Jim Parsons) por Transparent, Melhor Ator Convidado para Bradley Withford, também por Transparent e, por último, Melhor Atriz Convidada para Joan Cusack em Shameless.

Chegamos aos pesos pesados, os cachorros grandes: as séries de Drama. Esse ano (que não contou com True Detective, Fargo e a melhor série de todos os tempos Breaking Bad e que viu a adição de Orange is The New Black, em sua temporada menos inspirada, em minha opinião) não teve para ninguém: a grande ganhadora da noite é Game of Thrones, por sua quinta temporada (derrotando séries como Better Call Saul e House of Cards, que particularmente prefiro, e a temporada final de Mad Men). A série sobre dragões, sangue, traições e sexo (não me matem, fãs, estou só brincando, sei que também tem anões na série) levou para casa Melhor Ator Coadjuvante – mais uma vitória de Peter Dinklage -, Melhor Direção e Melhor Roteiro. Na categoria de Melhor Ator Principal vemos, até que enfim, a vitória de Jon Hamm por sua ótima atuação em Mad Men (derrotando os pesos pesados Kevin Spacey, Jeff Daniels, Bob Odenkirk, Liev Schreiber e Kyle Chandler). Já nas categorias femininas temos a brilhante Viola Davis vencendo Atriz Principal por How To Get Away With Murder (Meryl Streep, dá o teu último Oscar pra ela, você sabe que a Viola merecia mais!) e a também incrível Uzo Aduba por sua minuciosa e louca interpretação em Orange is The New Black. Para encerrar, Reg E. Cathey e Margo Martindale (Claudia, sua linda <3) venceram as categorias de Melhores Atores Convidados por House of Cards e The Americans, respectivamente.

Bom, é isso, esses são os principais ganhadores da grande noite da televisão americana. Agora, outono lá naquelas bandas, começa a nova temporada da série onde veremos as novas temporadas de Fargo e Empire e a estreia de The Bastard Executioner, por exemplo (que são as que eu quero ver, sim, foi um exemplo tendencioso). Para os amantes de séries, mais uma temporada que promete. Até o ano que vem, Emmys!

Renato Furtado

Anúncios