gga

Renato Furtado

Chegamos ao final das nossas previsões para o Globo de Ouro. Na quarta e última parte – ainda falando sobre séries – apresentaremos OITO categorias de atuação. Tem de tudo: indicados ao Oscar, estreantes, coadjuvantes, grandes atores, grandes atrizes e mais um pouco. Vamos lá.

Melhor Atriz – Minissérie/Filme para TV: Lady Gaga (American Horror Story: Hotel); Queen Latifah (Bessie); Kirsten Dunst (Fargo); Sarah Hay (Flesh & Bone); Felicity Huffman (American Crime).

Ainda que todas as atuações das atrizes indicadas sejam incríveis em suas respectivas séries, esse ano é de Kirsten Dunst. Eternamente lembrada como Mary Jane dos primeiros filmes do Homem-Aranha e posteriormente musa de Lars von Trier em Melancolia (filme pelo qual o prêmio de atuação no festival de Cannes), Dunst reestrutura não só sua carreira como também sua imagem perante o público americano e o público internacional em geral. Em Fargo (melhor série do ano), Dunst interpreta aquele que é, certamente, o papel mais desafiador de sua vida: Peggy, uma esteticista com um desejo de se tornar a melhor mulher que puder ser, uma personagem repleta de nuances e tonalidades contrastantes, todas brilhantemente trazidas à vida pelo trabalho impecável de Dunst. É uma das melhores atuações da série e a melhor interpretação da carreira da atriz.

Nossa aposta é: Kirsten Dunst!

FARGO -- Pictured: Kirsten Dunst as Peggy.
CR: Mathias Clamer/FX

 

Melhor Ator – Minissérie/Filme para TV: Patrick Wilson (Fargo); Idris Elba (Luther); David Oyelowo (Nightingale); Oscar Isaac (Show Me a Hero); Mark Rylance (Wolf Hall).

Diferentemente da categoria feminina, aqui o embate está acirrando. Reeditando a disputa na categoria de melhor atuação coadjuvante para o cinema, Idris Elba reencontra Mark Rylance – dessa vez, Rylance tem mais chances que Elba. Além disso, Patrick Wilson é um dos principais concorrentes por conta de seu trabalho em Fargo, um verdadeiro indicativo de que este pode ser um ator que ainda vai nos entregar grandes papeis em sua carreira. Ainda, Oyelowo e Isaac, dois dos melhores atores da atualidade, sem sombra de dúvidas – os trabalhos realizados pelos dois no cinema, recentemente, provam esta afirmação – embolam ainda mais a disputa. O desempate, aqui no C2M, ficou por conta da série e como Fargo é a nossa favorita do ano…

Nossa aposta é: Patrick Wilson!

pw

 

Melhor Atriz – DRAMA: Taraji Henson (Empire); Robin Wright (House of Cards); Viola Davis (How to Get Away With Murder); Caitriona Balfe (Outlander); Eva Green (Penny Dreadful).

Não tem jeito. Quatro grandes atrizes, sem sombra de dúvidas; no entanto, nenhuma delas trouxe um personagem tão icônico neste último ano quanto Viola Davis, responsável por dar vida à advogada Annelise Keating (sua única concorrente é Henson, intérprete da igualmente icônica Cookie Lyon em Empire). Querida pelo público e pela crítica, Davis encontrou na televisão o reconhecimento – merecido por ser uma das melhores atrizes de sua geração e uma das melhores atrizes da atualidade, vide as duas incríveis temporadas de How To Get Away, Histórias Cruzadas, filme pelo qual chegou a merecer o Oscar mais do que Meryl Streep e a clássica cena de Dúvida, onde protagoniza, provavelmente, os dez minutos mais intensos da ótima narrativa – negado tanto pelos filmes quantos pelas premiações cinematográficas. Sem mais delongas…

Nossa aposta (e torcida) é: Viola Davis!

PS: O mano Caio foi proibido de comentar neste post devido ao seu amor incondicional dedicado à Viola Davis, sentimento o qual faria com que nosso querido mano colocasse Viola como vencedora de TODAS as categorias. Pelo bem da notícia, ele foi interditado deste post.

viola

Melhor Ator – DRAMA: Bob Odenkirk (Better Call Saul); Jon Hamm (Mad Men); Rami Malek (Mr. Robot); Wagner Moura (Narcos); Liev Schreiber (Ray Donovan).

Esta categoria também está embolada. Odenkirk é brilhante em Better Call Saul; Hamm tem a última chance de ser coroado pela última no Globo de Ouro pela sua incrível interpretação nas sete temporadas de Mad Men; Rami Malek é uma das revelações do ano, demonstrando em Mr. Robot a semente do que pode vir a torna-lo um grande ator; Wagner Moura – revelação extrema para os americanos -, nossa grande estrela e um dos maiores atores brasileiros de todos os tempos, criou um dos personagens mais icônicos de 2015, enfrentando o desafio de levar uma das maiores figuras do final do século passado para as telas com o máximo de genialidade possível, Pablo Escobar; e Liev Schreiber, um ator subestimado, continua mandando ver na também subestimada série Ray Donovan, onde interpreta com grande habilidade o personagem título. Previsões são complexas neste ponto, portanto vamos deixar apenas nossa torcida misturada com aposta. Sem patriotismo…

Nossa aposta é: Wagner Moura!

narcos-wagner-moura-trailer

Melhor Atriz – COMÉDIA: Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend); Lily Tomlin (Grace & Frankie); Gina Rodriguez (Jane the Virgin); Jamie Lee Curtis (Scream Queens); Julia-Louis Dreyfus (Veep).

É difícil dizer isso – principalmente em um páreo que tem Lily Tomlin e Gina Rodriguez com sua incrível performance em Jane The Virgin -, mas aqui a disputa tem uma grande favorita, provavelmente vencedora. Julia-Louis Dreyfus é um ídolo para a comédia americana, uma comediante sagrada desde Seinfeld e uma atriz repleta de talentos, inteligência e habilidade. É possível que ela não leve o Globo de Ouro? É. É provável? Não muito.

Nossa aposta é: Julia-Louis Dreyfus!

thAB7923GW

Melhor Ator – COMÉDIA: Aziz Ansari (Master of None); Gael García Bernal (Mozart in the Jungle); Rob Lowe (The Grinder); Jeffrey Tambor (Transparent); Patrick Stewart (Blunt Talk).

Mais uma categoria repleta de grandes concorrentes da qual emerge um grande favorito: Jeffrey Tambor. Um dos maiores comediantes americanos da última década (seu trabalho em Arrested Development é impecável), Tambor ressurgiu em Transparent interpretando um papel super complexo e que exigiu não só um grande esforço cômico, como também um grande esforço dramático da parte de Tambor, em uma performance cheia de coragem e coração. Ainda por cima, ele estará defendendo seu cinturão: sem dúvidas, o lutador a ser batido.

Nossa aposta é: Jeffrey Tambor!

transparent-jeffrey-tambor-1-1

Melhor Atriz Coadjuvante – Série/Minissérie/Filme para TV: Regina King (American Crime); Joanne Frogatt (Downton Abbey); Uzo Aduba (Orange is the New Black); Maura Tierney (The Affair); Judith Light (Transparent).

Uzo Aduba não é apenas uma das melhores atrizes de Orange is The New Black; ela é uma das melhores coisas da série – elemento evidenciado pela menor qualidade apresentada pela terceira temporada da série da Netflix. Portanto, por manter sua grande interpretação, por levar uma temporada fraca nas costas, em alguns momentos e por continuar inovando e adicionando novas camadas cômicas e dramáticas à já querida Crazy Eyes, nossa aposta não poderia ser diferente.

Nossa aposta é: Uzo Aduba!

Orange-is-the-new-black-Uzo-Aduba-Vogue-7Jan15-pr_b_1080x720

: Ben Mendelsohn (Bloodline); Christian Slater (Mr. Robot); Tobias Menzies (Outlander); Alan Cumming (The Good Wife); Damian Lewis (Wolf Hall).

Bloodline é, provavelmente, uma das séries mais subestimadas de 2015. Em seu primeiro ano, a série da Netflix apresentou grandes conflitos e tensões dentro de um contexto que parecia ter pouco ou quase nada a acrescentar. Grande parte dos êxitos e méritos da série vem da atuação extremamente bem construída de Ben Mendelsohn, uma das grandes revelações dos últimos anos e um dos melhores atores em séries neste ano, sem sombra de dúvidas.

Nossa aposta é: Ben Mendelsohn!

bloodline_benmendelsohn_1200

 

Ficamos por aqui com nossa cobertura dos indicados ao Globo de Ouro 2016, cujos vencedores serão anunciados em janeiro! Até lá!

Anúncios