2016-comic-book-movies-collage

Caio César

Pergunte para qualquer jovem de 20 anos qual o filme de super-herois mais importante da história do cinema e ele, provavelmente, dirá algum título da Marvel Studios. E com razão. Nenhuma produtora foi tão relevante na última década do que a empresa que é liderada por Kevin Feige, sob a batuta de Bob Iger, CEO da Disney, que recentemente adquiriu, por alguns bilhões de dólares, o controle da empresa. Entretanto, basta voltar um pouco no tempo para perceber que o pioneirismo das adaptações de quadrinhos para o cinema fica com a DC.

supermanreeves_1Neste quesito, é inegável a importância do clássico Superman -O Filme, dirigido por Richard Donner e estrelado pelo ícone Christopher Reeves. O longa ganhou o Oscar de Melhores Efeitos Especiais, em 1978, e é, sem dúvida, o primeiro blockbuster de super-herois no cinema.

batman_2Alguns anos depois, os herois haviam caído mais uma vez no ostracismo e não faziam sucesso nas telonas. É quando, em 1989, o visionário diretor Tim Burton decide deixar de lado o tom pastelão de cômico das adaptações anteriores do Homem-Morcego na televisão e leva para o cinema o filme Batman, estrelado por Michael Keaton, e, até hoje, com o dólar ajustado para a inflação, um dos maiores sucessos da história do cinema.

Parecia ser o nascimento de um filão rentável e bem sucedido artisticamente. MAS, umas decisões equivocadas aqui, uns Joels Schumachers ali, e os filmes de Super-Herois caíram mais uma vez no esquecimento. As sequências de Superman enterraram o personagem. As de Batman, enterraram a franquia e alguns dos responsáveis por cometer aquelas desgraças. Demorou, mas a virada do século trouxe um respiro: e dois nomes tem total responsabilidade pelo renascimento dos filmes de herois: o principal, Bryan Singer, aquele que faz bons filmes dos X-men; e Sam Raimi, aquele apaixonado por Homem-Aranha, que fez o primeiro filme, fez do segundo uma obra prima e, bom, cometeu o terceiro.

Com uma pegada mais realista e séria, o primeiro X-men foi um sucesso de crítica e público. Abriu o caminho para as apostas em filmes que poderiam ser extremamente divertidos, mas, ainda sim, passando uma mensagem séria e com algum conteúdo. Sua sequência, ainda mais celebrada, permanece até hoje como um dos melhores filmes que já foram feitos sobre herois. Denso e extremamente bem realizado, é a celebração de uma engrenagem muito bem orquestrada pela Fox e as brilhantes escalações do elenco, como o do novato Hugh Jackman. Não é difícil enxergar o diálogo estrutural entre a franquia X-men e a primeira franquia Homem-Aranha. Um primeiro filme bom e muito bem recebido. Um segundo filme aclamado e sensivelmente melhor que o antecessor. A mancha fica por conta dos terceiros filmes: no caso do X-Men, um bom filme, mas prejudicado pelo excesso de plots e pela perda de seu diretor (que foi para o lado “negro” da DC, filmar o sofrível Superman – O Retorno). Já para o aracnídeo, um desastre total. Um personagem descaracterizado, prejudicado pela atuação horrenda de Tobey Maguire e o excesso de vilões. Era o fim de uma era.

tfx-marvel

A partir daí, eu tenho certeza que você conhece muito bem a história. Com o lançamento, em 2008, do bom, mas não ótimo (aliás, jamais entendi o hype excessivo em torno) Homem de Ferro, de Jon Favreau, a Marvel Studios pavimentou o caminho para a criação de um conglomerado absurdamente poderoso que incluía a ideia da formação de um universo compartilhado por todos os super-herois da casa – ou, pleo menos, aqueles que a empresa detinha o direito.

Antes disso, porém, em 2005, Batman Begins havia estreado pela DC. Dirigido por Chris (pros íntimos, né) Nolan, o filme foi uma unanimidade entre a crítica, mas não teve tanto sucesso nos cinemas. A Warner apostou na equipe e com Batman – O Cavaleiro das Trevas, o ápice das produções de super-herois. Talvez o melhor filme de super-herois de todos os tempos, foi alvo de grande campanha para que recebesse uma indicação ao Oscar melhor filme. Mesmo sem muitos atores negros, a indicação não veio. Mas o longa ditou um estilo de adaptação para os filmes da DC – sempre algo mais sóbrio e sombrio que os filmes colorido s e engraçadinhos da Marvel.

A Marvel viveu um período maravilhoso, com sucessos estrondosos, ainda que, de novo, EU não ache tanta graça assim nas sequências de Homem de Ferro, no bobo primeiro Thor, nos mal dirigidos Vingadores. Capitão América 2 – Soldado Invernal – ISSO SIM É FILME! Guardiões da Galáxia – divertidíssimo! Mas, sabe quem não gosta de nenhum deles? O povo da DC, rs. Que via de longe vários sucessos, enquanto eles produziam Lanterna Verde (!!!!!!!! gente que filme horroso !!!!!!) e choravam a falta de capacidade de criação de um universo compartilhado, ainda que todo fã se sentisse mais capaz de fazer isso melhor que aqueles produtores.

Coube ao incompreendido Zack Snyder, pupilo da Warner desde os tempos de 300, e à equipe de produção de O Cavaleiro das Trevas serem os responsáveis pela estruturação do DC Cinematic Universe. E depois do razoável Homem de Aço, 2016 chega cercado por expectativas. É o primeiro ano em que os lançamentos dos dois estúdios chegam brigando cabeça a cabeça para saber quem vai se sair melhor. No fim deste mês, um dos lançamentos mais aguardados do ano para aqueles que acham que vai dar bom (como eu!!!) e para aqueles que acham que vai dar muito ruim (como o mano Renato e o resto do mundo #haters): BATMAN VS SUPERMAN – A ORIGEM DA JUSTIÇA. Mês que vem, GUERRA CIVIL quebra tudo, também vai colocar seus super-herois em ritmo de briguinha de escola. Bryan Singer explora, pela Fox, a cada vez mais confusa e complexa linha temporal dos filmes dos X-men (só eu me senti trouxa após Dias de Um Futuro Esquecido? e eu odeio ser trouxa. odeio pagar de novo pra assistir o que eu já vi ou me fazerem de idiota. odeio andrew garfield e marc webb), com X-MEN: APOCALYPSE. Mas vocês também querem filmes de introdução? Pra DC tem o provavelmente sensacional ESQUADRÃO SUICIDA e, do lado chato, quer dizer, na Marvel, tem DOUTOR ESTRANHO.

O ano reserva altas emoções e embates! Fique ligado no Cinema2Manos para conferir nossas análises e tudo que a gente pensa sobre cinema – sem mimimi!

E QUE VENHA BATMAN VS SUPERMAN TE AMO ZACK SNYDER!

 

 

Anúncios