Renato Furtado

marvel-logo-wallpaper

Pensei muito tempo em qual título utilizar para essa matéria e fiquei entre dúvida entre o que ganhou e o outro título, que era “OS CINCO PIORES FILMES DA MARVEL”. Mas, como a gente não é caça-clique (mentira, a gente é sim), resolvi deixar do jeito que está e falar dos 5 filmes mais fracos (ou considerados mais fracos) da Marvel/Disney – isso quer dizer que você não verá nenhum mutante, Cabeça de Teia ou um certo motoqueiro-que-pega-fogo-e-que-veio-do-inferno na lista abaixo. Vamos lá!*

*Os filmes não estão em ordem de classificação, é apenas uma lista – MAS O PRIMEIRO LUGAR VAI TE DEIXAR SURPRESO (mas juramos não ser um site caça-cliques (mentira, juramos nada))

5) O Incrível Hulk (aquele filme com o Edward Norton)

edward-norton-hulk-playlist
Edward Norton não fazia a menor ideia do que estava fazendo com a sua vida, essa é a mais pura verdade

 

 

Como já foi explicado acima, alguns filmes não aparecerão nessa lista – esse é o caso do primeiro filme estrelando o nosso herói verde e gigantesco favorito, aquela atrocidade dirigida pelo Ang Lee. No entanto, como a Marvel/Disney não conseguiu acertar o personagem de Bruce Banner até a escalação de Mark Ruffalo no papel, entra aqui o filme que não é nem como Eric Bana nem com Ruffalo: estamos falando do Hulk do Edward Norton, um filme que só é ligado ao MCU (Universo Cinematográfico da Marvel, em tradução livre) por causa de uma aparição relâmpago do Robert Downey Jr. (e também pela participação de William Hurt no elenco, ator que reprisa seu papel em Capitão América: Guerra Civil). No mais, a produção viu Norton – um grande ator, mas não o ator certo para interpretar um personagem como Bruce Banner – brigar com o diretor Louis Leterrier e as coisas desandaram um pouco, é verdade.

Resultado: médio, podia ser pior, podia ser bem melhor.

4) Homem de Ferro 2

Iron Man 2 Mickey Rourke
Manual de Cinema, regra número 134: Todo bom filme que se preze deve ter o Mickey Rourke e uma cacatua (não somos especialistas em aves) como os vilões principais.

 

É possível que eu seja a única pessoa a gostar desse filme no mundo todo? Sim, é possível. Mais: é possível que eu seja a única pessoa a gostar mais do segundo Homem de Ferro do que do primeiro? Sem a menor sombra de dúvidas, com certeza sim. O fato é: depois do sucesso inesperado do Homem de Ferro (que é realmente um bom longa), a Marvel/Disney ainda estava aprendendo a dar os seus passos em direção à megalomania que eles eventualmente abraçaram alguns anos depois. Logo, alguma coisa no meio do caminho poderia ter dado errado. E deu. Homem de Ferro 2 foi um sucesso, mas a introdução de novos personagens (como a Viúva Negra de Scarlett Johansson) e a transição de um filme solo para um filme que integra um universo complicaram, visivelmente, a qualidade da produção, no geral.

Resultado: também médio, podia ter sido pior, podia ter sido bem melhor. Eu continuo gostando bastante mesmo sabendo que estou errado. É a vida.

3) Thor: O Mundo Sombrio

thor_3
Thor 2 é o equivalente de uma sala de cinema com pilastras na frente das poltronas e reboco caindo do teto (essa é uma história verídica)

 

Cada franquia do universo Marvel possui sua estética própria. Os filmes do Homem de Ferro misturam ação, tecnologia e ficção científica; os filmes do Capitão América andam mais na direção de suspenses políticos; e os filmes do Thor são uma espécie de teatro shakespeariano de uma outra dimensão. O primeiro Thor é interessante – muito por conta do comando de Kenneth Branagh, um ator conhecido por seus filmes teatrais. Mas o segundo… Sinceramente, o que é isso? Ao tentar lembrar do filme, me impressionei como eu não lembro coisa alguma sobre esse filme. A sorte do estúdio é que eles já estavam bem estabelecidos no momento do lançamento desse longa. Ainda, o papel de Natalie Portman, uma grande atriz, cai para uma posição de coadjuvante de um filme para o outro. Subutilizar a Natalie Portman deveria ser crime para falar a verdade.

Resultado: não fede nem cheira, mas fede mais do que cheira.

2) Capitão América: O Primeiro Vingador

Captain America: The First Avenger
Milhões de dólares para fazer ESSE filme?

 

Quando Capitão América: O Soldado Invernal foi lançado, fui ao cinema com receios e dúvidas – ainda bem que acabei me surpreendendo, visto que o segundo Capitão América é um dos melhores filmes da parceria Marvel/Disney. O motivo das minhas preocupações? O primeiro filme do herói. São tantos erros e tantas falhas que fica difícil perdoar alguma coisa. Mas vale enumerar algumas delas: a direção fraquíssima de Joe Johnston (saudades Jumanji), o roteiro mirabolante, a subutilização de Hugo Weaving, a atuação mais do que problemática de Chris Evans (o ator, que demorou a encontrar o caminho para se estabelecer como líder dos Vingadores, estava ainda com o espírito de Quarteto Fantástico – e isso não é um elogio) e o fato de que Hayley Atwell, intérprete da Agente Carter, deixou saudade em nossos corações cinematográficos (apesar da série Agent Carter existir e ser veiculada em algum lugar, sabe-se lá onde).

Resultado: podiam ter se esforçado mais.

1) Hulk

lou-ferrigno-the-hulk
Isso sim que é Hulk de verdade! (o site se recusa a utilizar a imagem do filme do Ang Lee, por isso a homenagem ao mito Lou Ferrigno, flw)

 

Lembram quando eu falei que ia mencionar apenas os filmes relacionados ao Universo Marvel dos dias de hoje? É, eu menti. Desculpa, não foi possível resistir à tentação de espalhar algumas palavras sobre Hulk, um dos filmes mais criminosos e hediondos da história dos super-heróis no cinema (a sorte desse filme é que existe X-Men Origens Wolverine e Homem-Aranha 3). Podia ter dado tudo certo? Claro, o diretor era Ang Lee, um dos mais talentosos e capazes cineastas vivos – ele é o responsável por “O Tigre e o Dragão”, “O Segredo de Brokeback Mountain” e “As Aventuras de Pi”, entre outros bons filmes. Além do mais, ele trouxe uma estética interessante, brincando com a linguagem dos quadrinhos na tela de cinema. No entanto e no fim das contas, deu tudo errado, foi tudo para o espaço e a Marvel só teve coragem de mexer em algum filme de super-heróis por sua conta e risco quatro ou cinco anos depois com Homem de Ferro.

Resultado: uma produção cujo roteiro inclui um Hulk de cinco metros de altura brigando com um poodle gigantesco, cujo protagonista é o tenebroso Eric Bana e lidando com os clichês do gênero antes mesmo de eles existirem, de fato. Duas horas e dezoito de agonia e sofrimento para o espectador.

 

Amanhã, aqui no Cinema2Manos, continuaremos nossa cobertura da semana de estreia de Capitão América: Guerra Civil com mais uma lista para saciar os desejos de polêmica que todo bom internauta (que palavra mais anos 2000) tem dentro de seu coração. A seguir: os 5 MELHORES filmes da Marvel/Disney!

Anúncios