MK1_5074.dng

NOTA: 8,5 / Por Caio César

Boatos correm por Hollywood e dão conta de que o diretor James Wan não topou comandar a nova aventura de Velozes e Furiosos, pelo qual receberia uma quantia “capaz de mudar vidas”.  Em outras palavras, uma bolada gigantesca para manter a segurança de um trabalho bem realizado no derradeiro filme de Paul Walker. Wan não aceitou porque queria dar seguimento à sua franquia do coração. E não poderia ter acertado mais. Invocação do Mal 2 é a consagração de um diretor que sabe o que faz e tem controle total sobre a linguagem do terror.

O novo longa acompanha as histórias de uma família na Inglaterra que está sofrendo nas mãos de um espírito que assombra a casa para qual se mudaram. Com a fama do caso, o casal de especialistas Ed e Lorraine Warren (Patrick Wilson e Vera Farmiga) são chamados para dar um parecer sobre os estranhos acontecimentos.  A história, um tanto batida, ganha pontos pelo tempo investido para introduzir os personagens. Alguns diretores e roteiristas não tem noção de que isso é um dos pontos mais importantes de filmes de terror, uma vez que, sem saber o background emocional dos personagens, fica muito mais difícil se importar com eles.

À medida que os acontecimentos sobrenaturais vão se desenrolando, fica mais latente o domínio do diretor sobre a construção das cenas. Ele, que idealizou a franquia Jogos Mortais (e é diretor de um dos meus filmes de terror favoritos, o terrível mas sensacional Gritos Mortais), trabalha com efeitos práticos em cena e no jogo de sombras e silhuetas para extrair o máximo da atmosfera de horror.

Auxiliado por uma competente direção de arte, Wan desliza sua câmera entre os cômodos para colocar o espectador no centro da ação. E ainda nos momentos em que o longa dá sinais de perda de ritmo, basta alguns elementos para acenderem a plateia e colocá-la de novo na posição de manipulação de James, que parece ser capaz de medir a atenção do público a cada frame da projeção.

Nada disso, entretanto, seria eficiente se o elenco não estivesse tão afiado. Vera Farmiga brilha e é, sem dúvida, a melhor do grupo, junto com a menina Madison Wolfe que sofre na mão dos fantasmas. Patrick Wilson, uma figura que eu particularmente não gosto, traz leveza e doçura ao papel de Ed. A trilha sonora também é um ponto de destaque, desequilibrando o ambiente soturno do filme e atuando como peça chave na engrenagem do medo.

Invocação do Mal 2 é um filme de terror que vai além dos clichês e convenções do gênero, através das mãos de um talentosíssimo realizador. Mais que isso, traz um estranho e incômodo sentimento de paz e esperança à medida que se mostra um filme cujo tema principal é a família e até que ponto estamos dispostos por lutar por aqueles que amamos. Tem o cramulhão no meio, mas esquecendo dele, soa até… Fofo.

 

Anúncios