heseseRenato Furtado

Toda terça, a sessão #DESCUBRA traz algum flme, série ou projeto que represente o lado D (de DESCUBRA) do cinema e da tv. Mas por que não lançar um DESCUBRA sobre o lado A do cinema e da TV? Com isso em mente, a sessão #DESCUBRA mais uma vez vai ao mundo dos mortos do C2M e resgata a… DICA GOLD DA SEMANA!!! Por isso, o filme de hoje é o clássico da comédia oitentista “Cegos, Surdos e Loucos”.

Lançado em 1988, o filme é estrelado por Gene Wilder e Richard Pryor, dois dos maiores comediantes estado-unidenses de todos os tempos, que interpretam dois amigos que acabam se metendo em ALTAS CONFUSÕES quando encontram eles testemunham um assassinato. O problema é que essa TURMINHA DO BARULHO é composta por Dave (Gene Wilder), um cego e Wally (Richard Pryor), um surdo: ou seja, se juntar os dois não dá nem um inteiro.

É aquele esquema: comédia clássica de buddies (amigos) que precisam se juntar para resolver um problema. Para ser mais clássica só se tivesse uma road trip. Da era de antes do besteirol, “Cegos, Surdos e Loucos” é uma comédia com piadas genuinamente divertidas e gags visuais simples, porém eficientes – um estilo de comédia física desenvolvido pelos gênios pioneiros do cinema de comédia como Charlie Chaplin e Buster Keaton.

1989-see-no-evil-hear-no-evil-poster1 Completando o time da comédia está um jovem Kevin Spacey em uma participação mais do que especial. “Cegos, Surdos e Loucos” é um dos últimos filmes dos dois comediantes e uma boa entrada para o imenso universo do trabalho dos dois – que atuaram juntos em diversas produções.  Vale a pena conhecer (aluguem ou baixem, TORRENTE tá aí pra isso).

Anúncios