Despedida-em-Grande-Estilo-set

NOTA: 7,5 / Esta resenha foi escrita por Lorena Carvalho, estudante de Jornalismo da UFRJ, estagiária do AdoroCinema e nova colaboradora do Cinema2Manos.

“Despedida Em Grande Estilo” segue uma fórmula quase infalível: junte um grupo de coroas engraçados, de personalidades diferentes, que sejam bons amigos e coloque-os para fazer algo inusitado. Ah, e se tiver o Morgan Freeman no elenco, a chance de dar certo aumenta ainda mais. Já o vimos cumprindo listas do que fazer antes de morrer, fugindo da CIA e dessa vez, roubando um banco. E adivinhe só? A fórmula não falhou.

Quem nunca viu um senhorzinho ir ao banco reclamar sobre suas dívidas com o gerente? É exatamente assim, que o filme começa. Joe Harding (Michael Caine) é um aposentado que vive com a filha e a neta, Brooke (Joey King), a quem é muito apegado. No entanto, a casa deles pode ser recolhida pelo banco devido a seu atraso em pagar a hipoteca. Enquanto Joe reclama com seu gerente soberba sobre uma nova taxa do qual está sendo cobrado, eles são surpreendidos  por um assalto à agência.

Depois de testemunhar o roubo bem sucedido, o senhor de cabelos brancos, conta o ocorrido para seus velhos amigos, o simpático Willie (Morgan Freeman) e o pessimista Albert (Alan Arkin), ao lado dos quais trabalhou por anos numa fábrica. Não demora muito para que fiquemos sabendo que os três personagens podem ser afetados pelo mesmo problema: a empresa em que trabalhavam vai fechar sua sede nos Estados Unidos e, por isso, vai parar de pagar suas pensões.

Motivado por seus problemas financeiros, Joe logo chega a conclusão de que a saída é que ele e os amigos roubem um banco juntos. Porém, é nesse “logo” que mora o problema mais incômodo. Não há uma evolução da ideia do assalto. O personagem de Michael Cane (cuja face estará para sempre marcada como Alfred, o mordomo do Batman) simplesmente tem um estalo e faz a proposta aos amigos. O pouco desenvolvimento, ou pelo menos, a expressão de angústia de Joe não é capaz de convencer de que a única solução para os seus problemas é cometer um crime.

Talvez por isso, o ranzinza Albert não concorde com a ideia tão facilmente e só depois de perceber que o dinheiro de sua pensão estaria indo para um banco, se alia aos companheiros. Já aceitação prévia por Willie é bem mais convincente, tendo em vista seus problemas de saúde e a vontade de ver sua neta que mora em outro estado.

De todo modo, a premissa é clara, os três amigos precisam de dinheiro, estão no final de suas vidas e, claro, não tem “nada a perder”. Apesar de algumas vezes previsível, o filme dirigido por Zach Braff (Scrubs) apresenta um humor efetivo que explora os clichês ligados à idade avançada. Além disso, o longa consegue manter o ritmo sem perder a piada e se mostra capaz de abordar assuntos tabus como drogas e sexo na terceira idade.

As referências a filmes como “E.T. – O Extraterrestre” e sua montagem, que em alguns momentos remete ao modo de edição de filmes clássicos de ação, causam ainda mais divertimento. O longa também conta com a participação especial de Christopher Loyd (o eterno “Doc” de “De Volta Para o Futuro”), interpretando Milton, um senhor nada lúcido que rouba a cena sempre que aparece na tela.

Mesmo depois do ápice, o filme ainda arranca boas risadas do público em seu terceiro ato que continua a brincar com a vitalidade dos amigos e fecha o ciclo trazendo referências de seu início. De um modo geral, a fórmula deu certo novamente e “Despedida Em Grande Estilo” é mais uma comédia que cumpre o seu dever de divertir o público.

Anúncios